Testes laboratoriais para doenças do tecido conectivoFazendo uma diferença mensurável 

A disponibilidade comercial dos produtos varia de acordo com o status regulatório e aprovação prévia pela agência sanitária local. Entre em contato com um representante local Thermo Fisher Scientific para consultar a disponibilidade do produto em sua região. 

A identificação de anticorpos antinucleares (ANA) é de importância central para o diagnóstico clínico de doenças do tecido conectivo (DTCs), também chamadas doenças reumáticas autoimunes associadas à ANA (AARD) e que incluem o lúpus eritematoso sistêmico (LES), a síndrome de Sjögren (SjS), a esclerose sistêmica (ES), a miosite autoimune e a doença mista do tecido conectivo (DMTC). 

 

Os ensaios EliA™ CTD oferecem inúmeras vantagens. Alta sensibilidade e especificidade dos resultados para os marcadores clinicamente mais relevantes que podem ser aplicados com confiança. As publicações mais recentes mostram que a adição de ensaios EliA CTD à detecção convencional de ANA por IFA melhora significativamente a precisão do diagnóstico.1,2  

 

Por que escolher a Thermo Fisher Scientific como seu parceiro no diagnóstico de doenças do tecido conectivo?

O portfólio de última geração para o diagnóstico de DTC: qualidade em que você pode confiar

  • O portfólio EliA™ CTD é fabricado em nosso próprio centro de excelência, utilizando a inovadora tecnologia de proteínas recombinantes, que permite a produção de lotes grandes e reprodutíveis, garantindo a conformação de uma proteína e modificações pós-translacionais. Isso leva a qualidade e desempenho clínico superiores.3

Portfólio mais específico, ajudando você a colocar o paciente em primeiro lugar

  • Foi demonstrado que diversos ensaios* EliA CTD alcançaram os níveis mais altos de especificidade em muitas publicações.2,4-8 Em doenças raras, como as DTCs, a especificidade é crucial para garantir que os pacientes sejam diagnosticados com precisão e recebam o tratamento mais eficaz mais cedo. 

Um portfólio otimizado para laboratórios de testes de rotina

  • O portfólio EliA CTD é composto pelos marcadores mais relevantes clinicamente para auxiliar no diagnóstico diferencial das DTCs.1,8 Com a automação completa dos testes de triagem  EliA™ CTD e dos testes de reflexo amplamente validados para marcadores individuais, os Phadia™ Laboratory Systems permitem que seu laboratório maximize a eficiência e a produtividade do fluxo de trabalho e, ao mesmo tempo, minimize o tempo de resposta.

*O portfólio EliA CTD inclui os seguintes testes: EliA™ CTD Screen, EliA™ SymphonyS, EliA dsDNA, EliA™ Ro, EliA™ Ro60, EliA™ Ro52, EliA™ La, EliA™ U1RNP, EliA™ RNP70, EliA SmDP-S, EliA™ Scl-70S, EliA™ CENP, EliA™ Jo-1, EliA™ Rib-P, EliA™ Fibrillarin, EliA™ PCNA, EliA™ RNA Pol III, EliA™ PM-Scl, EliA™ Mi-2 e EliA™ DFS-70

Explore o portfólio EliA completo.
Exibir portfólio
Encontre um instrumento para realizar os testes EliA.
Exibir Phadia Laboratory Systems
Encontre recursos úteis para seu laboratório e seus clientes.
Acesse a Biblioteca de recursos
Referências
  1. Orme ME, Andalucía C, Sjölander S, Bossuyt X. A Comparison of fluorescence enzyme immunoassay versus immunofluorescence for initial screening of connective tissue diseases: Systematic literature review and meta-analysis of diagnostic test accuracy studies. Best Pract Res Clin Rheumatol. 2018;32:521-34. 
  2. Pérez D, Gilburd B, Azoulay D, Shovman O, Bizzaro N, Shoenfeld Y. Antinuclear Antibodies: Is the Indirect Immunofluorescence Still the Gold Standard or Should Be Replaced by Solid Phase Assays? Autoimmunity Rev. 2018;6(17):548–52.
  3. Thermo Fisher Scientific. Dados no arquivo.  
  4. Antico A, Platzgummer S, Bassetti D, Bizzaro N, Tozzoli R, Villalta D, et al. Diagnosing systemic lupus erythematosus: new-generation immunoassays for measurement of anti-dsDNA antibodies are an effective alternative to the Farr technique and the Crithidia luciliae immunofluorescence test. Lupus. 2010;19(8):906-12.
  5. Busch J, Endler G, Marsik C, Csandl E, Carageorgos M, Schönthal E, Sunder-Plassmann R, Rumpold H, Poster from the Medical University Vienna 2007. 
  6. Op De Beeck K, Vermeersch P, Verschueren P, Westhovens R, Marien G, Blockmans D, et al. Detection of antinuclear antibodies by indirect immunofluorescence and by solid phase assay. Autoimmun Rev. 2011;10(12):801-8.
  7. Op De Beeck K, Vermeersch P, Verschueren P, Westhovens R, Marien G, Blockmans D, et al. Antinuclear antibody detection by automated multiplex immunoassay in untreated patients at the time of diagnosis. Autoimmun Rev. 2012;12(2):137-43. 
  8. Claessens J, Belmondo T, De Langhe E, Westhovens R, Poesen K, Hue S, et al. Solid phase assays versus automated indirect immunofluorescence for detection of antinuclear antibodies. Autoimmun Rev. 2018;17(6):533-40.